OPINIÃO ROMES XAVIER

ACORDA VERDÃO!

O que acontece com o Goiás neste ano de 2018, é apenas uma repetição dos anos anteriores.

Treinador já está em Fortaleza/CE para o jogo de sábado. ( Divulgação)

ACORDA VERDÃO!

Mes de Vacinação - Prefeitura de Anápolis

São quatro anos de fracassos e mais fracassos em Campeonatos Brasileiros e outras competições da CBF.

O time só ganhou mesmo Campeonato Goiano, foram quatro títulos seguidos. Venceu o que dá conta de vencer.

Em 2015 o time foi rebaixado da primeira para a segunda divisão, utilizando quatro treinadores: Wagner Lopes, Hélio dos Anjos, Julinho Camargo e Arthur Neto.

Os treinadores trabalharam no Campeonato Goiano e Brasileiro. No Brasileiro o Goiás foi rebaixado com Dany Sérgio, preparador físico que assumiu apenas para cair.

Em 2016 o time voltou na segunda divisão e com perspectiva de alcançar o acesso no primeiro ano, já que time grande tem estrutura para bater e voltar, mas não foi isso que aconteceu, o time brigou na parte baixa da tabela e terminou na 13ª posição.

Os técnicos usados na temporada foram: Enderson Moreira, Léo Condé e Gilson Kleina, que trabalhou até a metade do goiano de 2017.

Silvio Criciúma duas vezes, Sérgio Soares, Argel Funks e Hélio dos Anjos, foram os treinadores de 2017.

No ano passado o time ficou várias vezes ameaçado de rebaixamento para a terceira divisão e finalizou na 14ª posição.

Um ponto a mais que o primeiro time rebaixado. 2018 esta apenas começando e o time já está na segunda troca de treinador.

O técnico Ney Franco contratado essa semana para substituir Hélio dos Anjos, viu o time ser derrotado pelo Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre/RS, por 3×1 na Copa do Brasil.

O time foi eliminado!

Ney Franco terá a difícil missão de fazer o Goiás vencer o primeiro jogo no brasileiro, sábado, contra o Fortaleza, na capital do Ceará.

Em três anos o Goiás trabalhou com 11 técnicos, repetindo Silvio Criciúma e Hélio dos Anjos duas vezes.

Então, se analisarmos friamente, o problema do Goiás não é técnico, o problema está dentro da estrutura administrativa do clube.

Não adianta o presidente Marcelo Almeida bater á mão, á mesa, e, não tomar nenhuma atitude.

Não adiante demitir assessor de imprensa, auxiliar de preparador físico, preparador físico, ou quem trabalha na parte de logística do clube.

Não adianta mexer no baixo clero!

Tem que ir lá, no cerne da questão.

Tem que ver quem deixa o grupo de jogadores na “zona de conforto” e os resultados negativos acumularem no brasileiro e irritar ainda mais os torcedores, que já não acreditam mais em ninguém do Goiás.

Acorda, verdão! Tem terceira divisão á vista.

VILA NOVA NA FRENTE.
Pela primeira vez na história, o Vila Nova lidera um Campeonato Brasileiro de série B.

O time é o único das 40 equipes que jogam as séries A e B, que tem 100% de aproveitamento.

Quatro jogos e quatro vitórias, contra: Avai/ SC, CRB/ AL, Sampaio Côrreia/ MA e Goiás. Ao passar pelo time esmeraldino por 3×1 no Serra Dourada, o Vila Nova aumentou a alto estima do grupo e passou a acreditar mais em si mesmo dentro do brasileiro, além, de deixar o torcedor eufórico com a participação colorada na competição e o sonho de chegar a primeira divisão.

O técnico Emerson Maria completou um ano no comando do time, um recorde na história do clube e uma forma de dizer que tudo está no caminho certo. Emerson Maria conseguiu elevar á moral da equipe do Vila Nova com vários resultados positivos nos clássicos com o Goiás.

Aquela síndrome de “ vira-latas” já não existe mais.

O time não perde para os esmeraldinos desde o ano passado, isso para a torcida do Vila Nova, vale mais que ganhar um Campeonato Goiano.

O Tigrão vai pegar um adversário difícil neste domingo, as 16:00h, no Serra Dourada e vai em busca da sua quinta vitória consecutiva, para manter a ponta do campeonato brasileiro da série B e ficar mais perto do acesso para 2019.

Restam muitos meses e rodadas pela frente? Sim! Mas um time só chega lá, jogo á jogo, e, é isso que o Vila Nova quer.

Domingo dia de dar um presentão para todas as mães coloradas com uma vitória em casa e com Serra Dourada lotado. Vai lá Tigrão!

ATLÉTICO
Com as falhas constantes do goleiro Kléver, o técnico Claudio Tencate resolve mudar o Atlético, nesta posição.

O time sofreu oito gols até agora, só marcou sete, e a metade dos gols sofridos foram creditados para a conta de Kléver, que agora perde a posição para Jeffesorn, que foi contratado junto ao Náutico e tem somente 20 nos de idade.

Mas o Atlético parece não confiar, nem no titular e muito menos nos reservas, já que outro goleiro foi contratado.

Léo, 27 anos, goleiro reserva do Atlético/PR já chegou e ficará a disposição para o jogo do dia 19 de maio, contra a Ponte Preta em Campinas/SP.

O Atlético ocupa o meio da tabela com 50% de aproveitamento, mas se quiser subir, o Londrina/PR terá que ser vencido nesta sexta-feira, as 21:30h, no Estádio Olímpico, em Goiânia.

Para alcançar o acesso, o Atlético precisa buscar o equilíbrio de um time vencedor.

Equilíbrio que ainda não existe neste time.

Toda vez que toma um gol, a equipe demora quase 20 minutos para voltar ao estado normal.

Isso, se chama “ desequilíbrio”

Emerson Maria um ano vitorioso no comando do Vila Nova. ( Divulgação)
  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Leave a Comment

    Protected by WP Anti Spam