"A fera voltou"

Lineker nocauteia Kelleher, homenageia ex-técnico, e avisa:

Mãos de Pedra dedica vitória a Marcelo Ribeiro, que morreu em acidente de carro, e manda recado para Dana White

Em luta equilibrada, Gastelum vence Jacaré por decisão dividida no UFC Rio 9
14 de maio de 2018
Academia Clubfit irá sediar pesagem dia 14/9 em Anápolis.
12 de setembro de 2018

John Liniker deu show na vitoria iante de Kelleher no UFC Rio 9 (Foto: Andre Durão)

John Lineker prometeu que dedicaria a vitória para o ex-treinador Marcelo Paiva, que morreu pouco antes do lutador viajar para o Rio de Janeiro para o UFC 224.

Neste sábado, ele cumpriu com louvor. Diante de Brian Kelleher, o Mãos de Pedra fez jus ao apelido e, com uma pedrada de esquerda, demoliu o americano aos 3m43s do terceiro round, vencendo por nocaute.

Esta foi a segunda vitória seguida do brasileiro, que agora tem 31 triunfos e oito derrotas na carreira, enquanto o
rival perdeu pela nona vez, além de ter 19 resultados positivos.

– Quero dedicar essa vitória para um cara que acabou falecendo antes de eu vir para o Rio de Janeiro. Um ex-treinador meu.

É para você, Marcelo!

Deus te apoiou com certeza.

Trabalhei muito com a minha equipe, mestre Ocimar, professor Erickson  Lima, o Mãos de Pedra está de volta, a fera voltou. Dana White, Sean Shelby, eu quero o cinturão!

Meu objetivo é ser campeão do UFC e eu vou ser campeão! – disparou Lineker.

A luta

Lineker não é de economizar nos golpes.

Na primeira investida do rival, combinou cruzado e gancho na linha de cintura, fazendo o americano recuar.

Kelleher passou a andar para trás e circular no cage.

Quando encurtou a distância, o brasileiro desferiu cruzados, mas se abriu e balançou para a mão esquerda do oponente.

Kelleher entrou com double leg, mas John  executou a defesa corretamente.

Os cruzados começaram a entrar, seguido de chute baixo. Uma bomba derrubou o americano.

Lineker sentiu o cheiro de sangue e partiu para cima golpeando no ground and pound, mas viu o adversário
fechar a guarda e o travar.

Com o combate novamente de pé, Lineker imprimiu forte volume.

O americano tentou um soco rodado, mas foi contragolpeado e sofreu o knockdown.

O brasileiro seguiu colocando pressão, variando cruzados na cabeça e ganchos na linha de cintura.

Kelleher ficou com as costas na grade e clinchou, mas Lineker voltou a se desvencilhar e conectou um forte
overhand de esquerda antes do fim do primeiro assalto.

Quando Lineker entra no octógono, você sabe que ele vai soltar socos o tempo todo, mas é difícil prever onde e marcar o tempo deles.

Kelleher sofria com a variação de goples na cabeça e na linha de cintura.

Quando subia a guarda, os ganchos entravam embaixo.

Quando baixava, diretos e cruzados eram conectados.

O americano tentou derrubar novamente, mas não encontrou o tempo correto.

Ao perceber que Kelleher sentiu os ganchos na linha de cintura, Lineker se abriu e iniciou uma tempestade de socos, mas viu o rival resistir bravamente.

Kelleher provocava, e o brasileiro debochou ao fazer sinal de que ele “fala muito”.

O americano jogou outro rodado, e Lineker, de forma rápida, esquivou e transitou para as costas, mas perdeu a pegada, pouco antes do segundo round terminar.

O Mãos de Pedra voltou tentando colocar o mesmo ritmo e encontrou o rosto e as costelas do americano, mas, desta vez, Kelleher conseguiu aplicar a queda.

Lineker ensaiou uma guilhotina, largou e ficou de pé, escapando do oponente.

Com pouco mais de meio round pela frente, o brasileiro diminuiu o ritmo, mas seguia preciso quando atacava.

Kelleher ameaçou encurtar a distância, mas, certamente, se arrependeu, pois recebeu uma duríssima sequência de socos.

Lineker resolveu  manter a pressão dos rounds iniciais e, quando uma bomba de esquerda tocou o rosto de Kelleher, o americano caiu desacordado.

John Liniker castigou Brian Kelleher com golpes poderosos (Foto: Andre Durão)

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta