Minha História

"Digital Influencer": uma brasileira no Reino Unido

Mãe de duas crianças pequenas, morando em uma cidade gelada do interior, Kerllen conta como a corrida a ajudou a fugir da depressão e ganhar um belo corpo. Em inglês.

Mãe de duas crianças pequenas, morando em uma cidade gelada do interior, Kerllen conta como a corrida a ajudou a fugir da depressão e ganhar um belo corpo. Em inglês. (Foto: arquivo pessoal)

“Digital Influencer”: uma brasileira no Reino Unido

Já fez 18 anos que goiana Kerllen Bittencourt Rego deixou o Brasil para cursar marketing em Londres. Viciada em academia, superou as diferenças de clima e cultura e sempre arrumava uma forma de treinar.

– No inverno o dia amanhece às 8h30 e 16h já está escuro, faz muito frio. Mas, enquanto estava solteira era fácil, acordava de madrugada para treinar antes do trabalho, usava a academia da faculdade depois da aula – conta.

Se casou em 2004 e foi morar no México por conta do trabalho do marido. Voltou para o Reino Unido grávida da primeira filha. Carolina nasceu e a vida começou se complicar – sem família por perto, marido viajando muito, sentia solidão, depressão.

– Eu tinha um bebê nos braços e muito medo de não ser uma boa mãe. Não conhecia ninguém, tenho algumas lembrancinhas do nascimento da Carol comigo até hoje –lamenta.

Na pequena cidade de Rhigos, uma vila de 2000 habitantes no País de Gales, não há uma academia em cada esquina, Kerllen começou a fazer caminhadas com a bebê no carrinho. Em meio a castelos e ovelhas, foi retomando a alegria, aprendeu a viver como as inglesas.
– Aqui não tem tanto tratamento estético, drenagem linfática, ninguém vai à nutricionista. Não vejo as pessoas copiando as dietas dos atletas ou cortando carboidratos –diz.

É este estilo de vida que ela conta no blog bilíngue Healthy Fit Mum, e nas redes sociais, com mais de 300 mil seguidores. Quando nasceu a segunda filha, Natalie, hoje com 8 anos, Kerllen já tinha um grupo de mães com crianças pequenas, que saiam juntas para se exercitar empurrando carrinhos.

– Corri até o último dia de gravidez e voltei a correr quando a Natalie estava com um mês de vida, sempre levando ela comigo, nem teria com quem deixar. Fui aprendendo a curtir a companhia dela e ver o lado bom das coisas, a corrida me ajuda a lidar com a ansiedade.

Deixou de lado o marketing e se tornou professora de inglês para estrangeiros, uma forma de ter tempo para as meninas e a casa. Aos 40 anos, mantém seus 58kg bem distribuídos em 1,73m de altura com os treinos que ela mesma cria – no jardim de casa ou na academia simples, sem professor, da cidade.

– Melhor do que “antes e depois” é ver que meu depois continua como antes, ainda visto as roupas de 20 anos atrás!- completa.

EU Atleta- Globo Esporte
Por Carla Gomes, Rhigos, País de Gales

No interior do país de Gales, Kerllen corre entre ovelhas e castelos (Foto: arquivo pessoal)
Aos 40 anos, Kerllen mantém o mesmo corpo que tinha aos 20 (Foto: arquivo pessoal)
Por falta de academia, Kerllen treina até no quintal de casa (Foto: arquivo pessoal)
Depressão? Nunca mais! (Foto: arquivo pessoal)
  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe seu comentário

    Protected by WP Anti Spam