No campus da UEG Jundiaí

Nomeação de segundo colocado em eleição faz gestores paralisarem atividades

A atitude do governador Marconi Perillo em nomear o segundo colocado na direção do campus da UEG Jundiaí, desrespeitando o resultado do processo democrático que elegeu o professor Silvair Félix para assumir o cargo respectivo, fez com que o grupo gestor da unidade paralisasse as atividades do campus nesta quarta-feira (6).

A atitude do governador Marconi Perillo que  nomeou  o segundo colocado na direção do campus da UEG Jundiaí, desrespeitando o resultado do processo democrático que elegeu o professor Silvair Félix para assumir o cargo respectivo ( Foto: Avóz de Anápolis)

Nomeação de segundo colocado em eleição faz gestores paralisarem atividades

A atitude do governador Marconi Perillo em nomear o segundo colocado na direção do campus da UEG Jundiaí, desrespeitando o resultado do processo democrático que elegeu o professor Silvair Félix para assumir o cargo respectivo, fez com que o grupo gestor da unidade paralisasse as atividades do campus nesta quarta-feira (6). Com isso, as rotinas administrativas e escolares estão suspensas.

A paralisação foi tirada em assembleia realizada em dois turnos logo após a publicação do decreto. Na porta da unidade nesta quarta-feira, a professora Nádia Maria Vaz, da área de humanas, integrava a manifestação. Segundo ela, o conveniente é o respeito à eleição.

“O governador utilizou da questão da lista tríplice para nomear o segundo colocado. Nós queremos simplesmente que seja respeitado o processo democrático que elegeu o professor Silvair com uma aceitação de 75%”, sustentou

De acordo com a professora, a paralisação só terá fim quando o governador reavaliar a nomeação. “Só retornaremos quando o reitor e o governador fizerem o que é correto, que é nomear o diretor que foi eleito. Isso é uma questão de democracia”, finalizou.

Resposta

Em nota, a Universidade Estadual de Goiás (UEG) não manifestou sobre a paralisação e nem sobre a possibilidade de reavaliação do ato, mas disse que a nomeação dos diretores dos Câmpus é uma prerrogativa legal do Poder Executivo do Estado de Goiás que observa uma lista dos candidatos mais votados.

A instituição limitou a lembrar que não foi a primeira vez que ocorre fato como esse no âmbito da Universidade, ressaltando que em 37 câmpus, 34 diretores mais votados foram os nomeados pelo Executivo Estadual. O campus UEG Jundiaí integra esses três em que não foram nomeados os vencedores das “urnas”.

Link original da matéria:
http://www.avozdeanapolis.com.br/nomeacao-de-segundo-colocado-em-eleicao-faz-gestores-paralisarem-atividades-no-campus-da-ueg-jundiai/

Paulo Roberto Belém em Anápolis

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe seu comentário

    Protected by WP Anti Spam