Agro7 : Pecuária» Agro7

Pearson Saúde Animal

Uso estratégico de antibióticos reduz prejuízos de mastite e pneumonias na pecuária leiteira

Doenças são multifatoriais, mas em todos os casos o uso de medicamentos antibacterianos ainda é importante para a recuperação dos animais

PUBLICIDADE

A pecuária leiteira é uma atividade marcada por ciclos e enfrenta desafios constantes que requerem gestão eficaz para preservar a rentabilidade. 2023 foi um exemplo, exigindo extremo profissionalismo dos produtores, com atenção aos custos e à prevenção de enfermidades.

Nesse campo aliás, dois inimigos frequentes são a mastite e as pneumonias, cuja incidência aumenta durante períodos de calor e chuva. O médico-veterinário Thales Vechiato, gerente de produtos para grandes animais da Pearson Saúde Animal, destaca que “a mastite ambiental é mais frequente quando o rebanho fica suscetível à contaminação por bactérias presentes nas fezes e urina”.

Estudos da Embrapa Gado de Leite comprovam que glândulas mamárias afetadas por mastite subclínica – ou seja, aquelas passíveis de ser identificadas apenas por testes de campo ou de laboratório – apresentam redução média de 25% a 42% na produção de leite em comparação com glândulas mamárias saudáveis.

A mastite é causada por diversas bactérias, sendo o desafio sanitário mais significativo da pecuária leiteira.

Durante a lactação, a mastite contagiosa ocorre por falta de higienização na ordenha, enquanto a mastite ambiental é transmitida do meio para o animal,

alerta Vechiato.

 

Essa enfermidade, contudo, não é o único problema a ser enfrentado em períodos de calor e chuva.

Esse clima, agravado pela instabilidade e pelos extremos causados pelo fenômeno climático El Niño, também ajuda a abrir as porteiras para doenças respiratórias.

A pneumonia, por exemplo, é uma preocupação adicional nos rebanhos leiteiros, especialmente em animais jovens. A ocorrência dessa enfermidade pode ser associada a distúrbios respiratórios e à artrite em animais adultos, além de otite e pneumonia em animais jovens.

Condições ambientais favoráveis à sobrevivência do micoplasma, agente causador da pneumonia, incluem umidade associada a um ambiente pouco ventilado e quente, contaminado com sobras de leite ou fluidos uterinos, detalha o médico-veterinário.

A detecção precoce de infecções, especialmente em grupos de bezerros com infecções nos olhos, ouvidos ou artrite, é fundamental para implementar medidas preventivas e de tratamento. Para auxiliar os produtores a proteger seus animais, a Pearson disponibiliza o recém-lançado Tilofor 20%.

O produto tem como princípio ativo a tilosina, antibiótico que impede as bactérias de produzir proteínas, o que as torna sensíveis ao produto. “Os medicamentos dessa classe entram nas células, especialmente nas que combatem infecções, se espalhando pelos tecidos e permanecendo ativos por longo tempo no corpo dos animais. Outro diferencial é a carência reduzida – são apenas 10 dias de retirada para bovinos”, conclui Thales Vechiato.

Sobre a Pearson

A Pearson Saúde Animal, com mais de um século de experiência, adota o conceito de saúde única, que reforça a visão de saúde animal e a humana como codependentes. A empresa oferece um rico portfólio que inclui a pioneira Creolina, referência em desinfecção de ambientes e no controle de epidemias de saúde pública.

Além disso, a Pearson expandiu suas atividades para o mercado de animais de companhia em 2021, com a aquisição de licenças do laboratório Labgard, e inaugurou o Laboratório Gama em Itapevi (SP), considerado passo fundamental para se colocar entre as 10 maiores empresas do ramo de saúde animal.

Para mais informações, visite o site

https://pearsonsaudeanimal.com/

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Gildo Ribeiro

    Gildo Ribeiro é editor do Grupo 7 de Comunicação, liderado pelo Portal 7 Minutos, uma plataforma de notícias online.

    Artigos relacionados

    Verifique também
    Fechar
    Botão Voltar ao topo