Lê Moraes comenta na Coluna Jet7

Com mercado aquecido, construtoras comemoram vendas

Exemplo do otimismo do setor é a venda de 70% das unidades no pré-lançamento do ART Haus, na Vila Rosa

Posê completa 13 anos com 83 mil clientes.
9 de maio de 2022
Business Meeting Wine & Jazz Edition conecta empresários, líderes e oportunidade
12 de maio de 2022

Antes mesmo do seu lançamento, o ART Haus, residencial com 256 unidades, na Vila Rosa, teve 70% das suas unidades vendidas.

 

Com VGV de R $75 milhões,

o empreendimento em parceria da Louly Caixe Incorporadora, Três Incorporadora e Trinus CO, que será entregue em 2025, é um bom exemplo do aquecimento do mercado imobiliário em Goiânia.

 

Voltado para a classe B,

como primeiro imóvel, o produto que tem em média 54 m2 e dois quartos, teve uma resposta bem melhor do que o esperado pelos empreendedores do projeto.

 

Raphael Rocha,

diretor comercial da Três, calcula que 30% das unidades foram compradas com a finalidade de investimento. “Pegamos um momento bom no mercado, em que muitas pessoas querem ter a segurança do investimento em imóveis. À princípio acreditávamos que a venda viria do público de primeiro imóvel e fomos surpreendidos por um alto número de pessoas que compraram para investir e ver a valorização do seu patrimônio, para depois colocar para alugar por aplicativos”, analisa.

Para ele,

além do ótimo momento do segmento, são vários os motivos do sucesso de vendas. “O empreendimento foi concebido em um bairro que está em ascensão que é a Vila Rosa, que vai crescer muito nos próximos anos. A nova alteração do plano diretor jogou parte do adensamento do Parque Amazônia para a Vila Rosa e isso potencializou o interesse pelo bairro”, acredita.

 

Na opinião de Raphael,

o urbanismo do bairro também possibilita um adensamento com conforto, pois é possível fazer empreendimentos com volume razoável de unidades sem ter um grande impacto urbanístico. “O bairro tem praças e ruas e avenidas largas.”

 

Para Sérgio Henrique Bernardes,

diretor comercial da Louly Caixe Incorporadora, além do mercado aquecido, um dos diferenciais da boa aceitação comercial do empreendimento, é que agrega benefícios para a comunidade do bairro, como a reforma de uma praça no local. “Temos um diferencial que é a gentileza urbana que promovemos no bairro, demonstrando todo potencial de vivência. Nossa intenção é entregar um espaço público para que todos da região possam aproveitar”, diz.

 

A Praça 21 de Setembro

vai ganhar, até o final do primeiro semestre, duas quadras de areia, pet place, playground, horta comunitária e equipamentos urbanos. “Além disso, estamos buscando parceria com uma ONG, que vai fomentar a prática de esportes para essa comunidade”, conta Sérgio.

 

Os empreendedores

têm lançamentos previstos ainda para esse ano, com o mesmo conceito: um na Vila Brasília e outro no Setor Aeroviário. A expectativa é de que, como na Vila Rosa, as vendas sejam um sucesso. “Se depender do crescimento do setor, que em 2021 teve o maior volume de lançamentos e vendas da última década, 2022 também seguirá a tendência de alta”, acredita Sérgio Bernardes.

By Lê Moraes 

Sérgio-Henrique-Bernardes

Raphael-Rocha

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.