Inferno na Globo!

Governo inabilita Fundação Roberto Marinho e cobra devolução R$ 54 milhões

A Rede Globo vive dias de terror.

Direito de resposta de Ana Paula Henkel
26 de julho de 2021
Polícia finaliza investigação, descobre algo surpreendente e Joice se afunda de vez (veja o vídeo)
27 de julho de 2021

Jair Bolsonaro; Fundação Roberto Marinho – Foto: Reprodução

Dizem que, ‘quem planta colhe”.

Parecer ser o caso

Atolados até o pescoço em uma crise sem fim, a Globo acaba de ver mais um capítulo de sua
derrocada…

Nesta segunda feira, 26, o Ministério do Turismo, editou uma portaria na qual inabilita por tês
anos a Fundação Roberto Marinho para capitação de recursos públicos.

Além disso, o Ministério cobra a devolução de R$ 54 milhões ao Fundo Nacional de Cultura (FNC),
referentes ao montante aplicado na construção do Museu da Imagem e do Som (MIS) do Rio de
Janeiro, na Praia de Copacabana.

O Secretário Especial da Cultura Mário Frias fez a promessa ao povo brasileiro:

” As auditorias dos projetos da Lei Rouanet são parte fundamental para moralizarmos os
mecanismos de fomento à cultura. É uma prioridade, na minha gestão, auditar todo o passivo de
13 bilhões de reais, para identificar e punir o mau uso do dinheiro do nosso povo”

André Porciuncula, secretário de Fomento à Cultura reforçou:

Por isso a auditoria é parte fundamental no fomento à cultura. Há um imenso acúmulo de projetos
da Lei Rouanet nao auditados ( 13 bilhões de reais), e iremos focar em resolver esse problema.
Qualquer um que fez mau uso das verbas públicas será devidamente responsabilizados.

Derrotas atrás de derrotas, demissões em massa, crise financeira, contando os dias para saber
se o presidente Jair Bolsonaro vai liberar, ou não a ‘temida’ concessão, a Globo vive o pior
momento da sua história e caminha a passos largos ruvo ao fundo do poço.

Link original da matéria:
https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/31572/inferno-na-globo-governo-inabilita-
fundacao-roberto-marinho-e-cobra-devolucao-r-54-milhoes

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.