CINEMA E STREAMING

Justiça do RJ pressiona Netflix

A cessar uso de tecnologia; entenda o caso

Google dá dez razões para trocar o iPhone por Android
30 de junho de 2022
Realiza primeira apreensão dentro do metaverso
30 de junho de 2022

A tecnologia em questão é chamada DivX, e o TJ-RJ acusa a Netflix de usá-la sem obter uma licença.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro reestabeleceu uma liminar contra a Netflix, exigindo que a companhia pare de usar uma tecnologia de compressão de vídeos.

 

A tecnologia em questão

é chamada DivX, e o TJ-RJ acusa a Netflix de usá-la sem obter uma licença. Assim, a Netflix estaria se aproveitando de uma tecnologia protegida desde 2018 no Brasil, por registro no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual.

A liminar exige que a Netflix pare o uso do DivX, e o prazo venceu na última sexta-feira, 24 de junho. Caso isto não aconteça, será cobrada da Netflix uma multa diária de R$ 50 mil.

 

Este não é um problema novo

para a Netflix, que já enfrentou ordem judicial pelo mesmo assunto, que foi derrubada em 2021 e agora retorna. Na época, a empresa ofereceu garantia de R$ 10 milhões enquanto o processo corria na Justiça, oferta que foi aceita e a liminar foi derrubada na época.

Agora, ela foi restabelecida pelos desembargadores da 24ª Câmera Cível do TJ-RJ, com dois votos favoráveis e um contrário. A DivX, empresa também americana, faz acusações contra a Netflix de quebra de patente no território brasileiro, afirmando que a companhia de streamings usa sua tecnologia sem licença.

 

A DivX

é uma tecnologia patenteada que permite a compressão de vídeos em alta definição com maior velocidade e sem prejuízo à qualidade das imagens. Assim, é possível disponibilizar vídeos em Ultra HD e 4K com definição superior.

Por outro lado, a Netflix nega que faça uso do DivX, o que foi negado pela desenvolvedora do software, que apresentou cinco pareceres técnicos elaborados por centros de pesquisa brasileiros – USP, UFRJ, UFF, UERJ E PUC-Rio – indicando que a gigante dos streamings faz uso da tecnologia como prova ao TJ-RJ.

 

Mas,

apesar de negar o uso da tecnologia, a Netflix afirma que a decisão judicial para cessar o uso da DivX causará prejuízos enormes à companhia, uma contradição que inclusive foi usada como argumento na decisão dos desembargadores.

 

A disputa entre Netflix e DivX não ocorre apenas no Brasil,

visto que a tecnologia é reconhecida por patentes nos principais mercados no mundo, como o próprio Estados Unidos e a China.

By Ana Luiza Figueiredo

Link original da matéria:
https://olhardigital.com.br/2022/06/28/cinema-e-streaming/justica-do-rj-pressiona-netflix-a-cessar-uso-de-tecnologia-entenda-o-caso/?fbclid=IwAR16atrGpO_p3fz5BnLaHxjujmEM8ZYVGUJpazlZ8GDkpnW2T03MMPk0JpU

Assim, a Netflix estaria se aproveitando de uma tecnologia protegida desde 2018 no Brasil, por registro no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual.

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.