Precisamos transformar em lei

O direito ao aborto, diz Biden

Após decisão da Suprema Corte dos EUA

Ataque em bar gay em Oslo,
26 de junho de 2022
São encontrados mortos dentro de caminhão nos EUA
28 de junho de 2022

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em discurso em que condenou decisão da Suprema Corte dos EUA de revogar direito constitucional ao aborto, em 24 de junho de 2022. — Foto: Reuters

‘Estados Unidos voltam 150 anos no tempo’, declarou presidente norte-americano sobre conduta de magistrados derrubando decisão da década de 1970 que legalizou nacionalmente a interrupção da gravidez.

Estados agora

poderão decidir livremente sobre legalidade.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou a decisão da Suprema Corte de revogar o direito constitucional ao aborto no país, publicada nesta sexta-feira (24).

 

Biden disse

chamou a decisão de “ideologia extremista” e defendeu que o direito ao aborto seja transformado em lei. Ele disse ainda que fará tudo o que estiver a seu alcance para “proteger a saúde das mulheres” e pediu protestos pacíficos.

“Este é o resultado de décadas de tentativas de acabar com essa lei. É uma ideologia extrema. A Suprema Corte fez algo que nunca havia feito antes, que é retirar um direito constitucionais dos americanos. A América volta 150 anos no tempo. As mulheres podem ser punidas por quererem proteger sua própria saúde, ou os médicos serão criminalizados por fazer seu dever de cuidar”, declarou Biden

.
O presidente

disse ainda que fará

“de tudo o que estiver no meu poder para proteger a saúde das mulheres”.

“O governo não pode interferir na decisão feita entre uma mulher e o médico.”

 

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.