Estilo / Saúde

DEN-1, o DEN-2, o DEN-3 e o DEN-4.

Secretaria da Saúde notifica 25,5 mil casos de dengue em Goiás neste ano

Ouvidor, São João da Paraúna e Três Ranchos são os municípios com maior incidência da doença, considerando número de ocorrências e tamanho da população. Pasta alerta para cuidados a serem tomados em casa.

Polícia investiga se fuzis de Ronnie Lessa têm a mesma origem que os do Senhor das Armas
16 de março de 2019
Por que tiroteios em escolas são raros em Israel, país onde há armas em todos lugares
16 de março de 2019

Larvas do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) notificou 25.509 casos de dengue em Goiás neste ano.

“De acordo com a pasta, Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis – as três cidades mais populosas – concentram o maior número de ocorrências.”

Considerando, porém, o coeficiente de incidência, que toma como referência a quantidade de registros por 100 mil habitantes, os municípios de Ouvidor, São João da Paraúna e Três Ranchos se destacam.

Os dados foram divulgados pela secretaria nesta sexta-feira (15) e foram contabilizados considerando as notificações feitas até o dia 9 de março.

O número é 10,6% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando o número de notificações foi de 28.535.

De acordo com o coordenador-geral de Combate ao Aedes, Marcello Rosa, essa redução é pontual e está relacionada ao não envio dos dados à secretaria pelos municípios, devido ao feriado prolongado de carnaval.

Ele diz acreditar que as notificações podem aumentar nas próximas semanas.

Ainda segundo o coordenador-geral, está em circulação em 2019, com predominância, o vírus sorotipo 2, que causa os casos mais graves de dengue.

“É fundamental que locais que possam ser transformados em criadouros do mosquito Aedes aegypti sejam eliminados rotineiramente”, declarou.

Existem quatro tipos do vírus da dengue: O DEN-1, o DEN-2, o DEN-3 e o DEN-4.

Eles causam sintomas semelhantes. A diferença é que, cada vez que a pessoa pega um tipo do vírus, não pode mais ser infectado por ele.

Os principais “sinais de alerta” da doença são dor intensa na barriga, sinais de desmaio, náusea que impede a pessoa de se hidratar pela boca, falta de ar, tosse seca, fezes pretas e sangramento.

O mosquito Aedes aegypti também pode ser vetor para chikungunya e vírus zika.

Cuidados
Marcello Rosa diz que é essencial manter vasos sanitários, grelhas de banheiros desativados fechados, recipiente de degelo atrás da geladeira limpo e evitar baldes de limpeza com água guardada.

“Toda semana é fundamental que se faça uma boa inspeção do imóvel para identificar os possíveis focos do Aedes.”

Além disso, diz, no quintal, é fundamental que a caixa d’água esteja vedada, assim como tampas de cisternas e fossas.

As grelhas e calhas devem ser mantidas limpas, assim como os bebedouros de animais, vasos de plantas e aparadores com areia.

“O lixo deve ser descartado para a coleta da prefeitura e jamais descartado em lotes baldios ou em praças e logradouros públicos e privados”, afirma o coordenador.

De acordo com os dados, há 19 óbitos suspeitos de dengue em Goiás, em 11 municípios.

Desse total, 7 foram registrados em Goiânia e 3 em Posse.

Os demais foram notificados em Caldas Novas, Ceres, Formosa, Morro Agudo de Goiás, Rio Verde, São Luís do Norte, Senador Canedo, Silvânia e Turvânia, cada cidade com 1 caso.

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam