Prefeitura Anápolis Trabalhando

Anápolis passa do grupo leve para o moderado e atividades terão restrições

Medidas, que começam a valer a partir de segunda-feira (22), foram anunciadas pelo prefeito Roberto Naves à imprensa

Anápolis se destaca com vacinação acima da média nacional
17 de fevereiro de 2021
Roberto, Bolsonaro e o deputado major Vitor Hugo fazem anúncio para Anápolis
24 de fevereiro de 2021

Medidas, que começam a valer a partir de segunda-feira (22), foram anunciadas pelo prefeito Roberto Naves à imprensa

Em uma concorrida entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, 18/02, o prefeito Roberto Naves anunciou que a partir de segunda-feira, 22/02, Anápolis deixa a matriz de risco leve e passar para o nível moderado, pelo qual o isolamento social passa a um patamar intermediário, ampliando-se as restrições em relação ao nível que, até então, estava em vigor.

Roberto Naves começou a entrevista lembrando que há cerca de um ano, Anápolis acolheu os brasileiros que foram repatriados de Wuhan, na China, onde eclodiu a pandemia do novo coronavírus.

Poucos dias depois, foi registrado o primeiro caso da doença no Município e, logo a seguir, identificou-se a circulação comunitária do vírus. Depois, foi necessário adotar uma restrição nas atividades econômicas e, após o pico da chamada primeira onda, a cidade voltou ao nível leve, sem maiores restrições, mas mantendo-se as recomendações dos protocolos sanitários de prevenção.

Segundo o prefeito, a partir de então várias medidas foram adotadas, dentre elas, a implantação de uma rede própria para atendimento aos munícipes acometidos com a Covid-19. A cidade foi pioneira em Goiás, na adoção de um protocolo sistematizado com a matriz de risco classificada como leve.

“Vamos manter sempre o mesmo foco de salvar vidas”,

assegurou Roberto Naves, enfatizando que Anápolis e Goiás já se encontram com capacidade máxima de abrir novos leitos de UTI, devido à falta de recursos humanos, físicos e equipamentos.

No caso do Município, com os 15 leitos contratados recentemente, a estrutura de enfrentamento à Covid-19, conta com 50 leitos de UTI e 80 de enfermaria, próprios do Município.

Ainda assim, conforme destacou Roberto Naves, foi necessário mudar o panorama da matriz de risco, em razão do crescimento exponencial de novos casos. Conforme observou, o vírus tem apresentado novas variantes, com maior velocidade de infestação de agravantes para alguns acometidos.

O chefe do Executivo indagou e ele próprio respondeu se a estrutura e a elevação do risco leve para o moderado serão medidas suficientes para superar a segunda onda. Conforme observou, a estrutura é condizente e até maior, proporcionalmente, em relação à do Estado. Porém, enfatizou que é preciso que a população também faça a sua parte e colabore seguindo as orientações sanitárias.

“Tem-nos chamado muito a atenção as pessoas que negligenciam a própria vida e colocam a vida dos outros em risco”,

pontuou, acrescentando que a fiscalização continua, será reforçada e continua com o apoio integral da Polícia Militar, como já vem ocorrendo desde o início da pandemia.

Vacinação
Durante a coletiva, Roberto Naves também anunciou que a partir de segunda-feira (22), a Prefeitura vai abrir o Zap da Saúde/Zap da vacina, para receber o cadastro de pessoas com idade acima de 75 anos. Segundo ele, não significa que, de pronto, as pessoas dessa faixa etária receberão a vacina.

Mas, o objetivo principal é garantir que o cadastro possa ser feito sem atropelos e, quando a vacina chegar, a vacinação possa ser feita com segurança e tranquilidade.

Roberto Naves alertou que as pessoas com idade acima de 80 anos que já receberam a primeira dose da vacina, não devem deixar de tomar a segunda dose. Conforme disse, é só observar a orientação de data que está no cartão de vacinação. Ou, ainda, disse, se já foram passados 15 dias da primeira dose, a pessoa deve tomar a dose complementar para garantir a imunidade.

“Esse intervalo refere-se à vacina CoronaVac. A vacina de Oxford, que foi ministrada nos profissionais de saúde, tem um prazo maior, variando entre 120 a 180 dias.”

Confira as mudanças que vão ocorrer passando do risco leve ao moderado
A mudança do risco leve para o moderado implicará em algumas mudanças, devido às orientações dos protocolos para os tipos de atividades. No comércio, por exemplo, o protocolo prevê o funcionamento das 9 às 16 horas, nos dias de semana e não funcionam dos finais de semana, exceto, por delivery.

Nos shoppings, o protocolo define horário reduzido de segunda a sexta-feira, das 9 às 20 horas e não funcionamento durante os finais de semana e feriados. O mesmo valendo para o Mercado Municipal.

Cultos religiosos e filosóficos poderão funcionar, porém, com 30% da capacidade de ocupação dos espaços físicos onde ocorram.

Já os serviços de alimentação: bares, restaurantes, distribuidora de bebidas, lanchonetes, padarias, dentre outros similares, de acordo com o protocolo para o risco moderado, poderão funcionar durante os dias da semana, inclusive nos feriados, até às 22 horas, com capacidade limitada de 30% de ocupação. Após esse horário, o funcionamento somente poderá ocorrer por delivery, retirada ou drive thru.

Parques e praças podem ser frequentados, respeitando-se as medidas de segurança como o distanciamento social e uso de máscara. Porém, fica proibido o uso de academias ao ar livre, parques e brinquedos coletivos e, também, os espaços públicos esportivos.

Os eventos públicos e privados podem ocorrer, porém, com a limitação máxima de 50 pessoas, sendo necessária a comunicação prévia para o órgão competente.

O protocolo reza, ainda, que estão vedadas as atividades de boates, danceterias, salões de dança. Também não será permitida a abertura ao público de galerias de artes, museus, bibliotecas, cinemas, casas de espetáculos, teatros e similares.

O prefeito Roberto Naves também determinou ao secretário municipal de Saúde, Júlio Spíndola, a realização de uma reunião com a empresa de transporte coletivo, a Urban, para alinhas estratégias de funcionamento com segurança.

O gerente de Vigilância Sanitária, Gúbio Dias Pereira, informou que em princípio, a determinação é para que os ônibus rodem com a capacidade de pessoas sentadas, ou seja, não permitindo pessoas viajando em pé.

Em relação ao segmento industrial, Gúbio Dias destacou que o segmento já segue medidas rígidas e poderá funcionar normalmente, seguindo as normas já em vigor de segurança em saúde e de prevenção à Covid-19.

As academias que poderiam funcionar com até o limite de 100 pessoas, terão essa limitação reduzida pela metade, ou seja, para 50 pessoas.

By Claudius Brito

Unidades de Atendimento

Leitos de Enfermaria

Leitos de Enfermaria

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam