Justiça feita com os anapolinos

Após polêmicas, Câmara Municipal aprova “Meu Lote, Minha História”

Na última sessão ordinária do mês de maio, a Câmara Municipal de Anápolis aprovou, por maioria de votos no plenário, o Projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo a fazer a venda ou permuta de áreas públicas e implementar programa na área habitacional.

Dispara Roberto Naves, após presidente do PT tentar impedir doações de lotes em Anápolis
17 de maio de 2022
Marconi Perillo vai trabalhar recursos em prol de projetos da APAE Anápolis
18 de maio de 2022

Câmara Municipal aprovou, em segunda e última votação, o Projeto de Lei Complementar nº 072, que visa a autorização legislativa para fazer a venda e/ou permuta de áreas públicas, tendo como prioridade a implementação do programa habitacional denominado “Meu Lote, Minha História”.

Na manhã desta quarta-feira, 18, a Câmara Municipal aprovou, em segunda e última votação, o Projeto de Lei Complementar nº 072, que visa a autorização legislativa para fazer a venda e/ou permuta de áreas públicas, tendo como prioridade a implementação do programa habitacional denominado “Meu Lote, Minha História”.

 

Foram 20 votos favoráveis e nenhum contrário.

A matéria deu entrada na casa há uma semana e foi entregue durante uma visita do prefeito Roberto Naves, que na ocasião fez questão de entregar a proposta, fruto de um trabalho de cerca de dois anos realizado através da secretaria de Integração Social, Diretoria do Patrimônio Imobiliário e a Procuradoria Geral do Município.

Desde então, o projeto tem sido alvo de discussões e polêmicas. Uma delas, uma ação do presidente local do Partido dos Trabalhadores, Rimet Jules, que foi ao Ministério Público buscar uma intervenção contra o PLC 072.

 

Essa iniciativa

do presidente do PT foi alvo de críticas tanto do prefeito Roberto Naves, quanto de vereadores da bancada de apoio ao Executivo, não sendo unanimidade nem dentro da própria bancada da legenda.

 

Polêmicas a parte,

o projeto abre caminho para que a Prefeitura de Anápolis possa instituir o programa habitacional que visa a doação de 2,8 mil lotes para famílias de baixa renda. Além da criação do “Cheque Habitacional”, que deve ser implementado numa etapa posterior,

O valor do “Cheque Habitacional” será de até R$ 10 mil, para ajudar as famílias que ganharam os lotes a fazerem as edificações.

Edital

De acordo com o prefeito Roberto Naves, após a aprovação (que ocorreu hoje) e a publicação legal do texto, será montada uma comissão com representações da própria prefeitura, da Câmara Municipal, Ministério Público e outros segmentos, para a elaboração do edital que vai definir os critérios para a distribuição dos lotes.

By: Claudius Brito

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.