Itaú Unibanco

Itaú eleva projeção para crescimento do PIB a 5% em 2021, corta estimativa de desemprego

O Itaú ainda destaca que o ano de 2022 pode sofrer com o descontrole das contas de 2021 por causa do avanço da pandemia

Marco Legal das startups é sancionado e entra em vigor
1 de junho de 2021
Monee aposta no acesso de colaboradores de empresas privadas a crédito consignado
7 de junho de 2021

REVISÃO DAS ESTIMATIVAS – Itaú projeta Selic de 5,5% ainda este ano e PIB menor do que o esperado O Itaú ainda destaca que o ano de 2022 pode sofrer com o descontrole das contas de 2021 por causa do avanço da pandemia. Imagem: Shutterstock

SÃO PAULO (Reuters) – O Itaú Unibanco elevou de forma expressiva suas projeções para o
desempenho do PIB em 2021, com normalização da taxa de poupança das famílias, forte
retomada global com as commodities em ascensão e reabertura da economia brasileira em meio
à expansão da vacinação.

O maior banco privado do país agora vê crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 5,0% em 2021, ante estimativa anterior de 4,0%. Para o primeiro trimestre, a previsão é de aumento de 0,6% na margem, enquanto entre abril e junho a
atividade deverá agora crescer 0,6%, e não mais cair 0,1%.

O IBGE divulga o PIB do primeiro trimestre em 1º de junho.

O setor de serviços, o de maior peso no PIB, deverá mostrar recuperação mais forte no
segundo trimestre, efeito do relaxamento em medidas de restrição a mobilidade.

O banco
projeta crescimento de 11,7% em abril e 30,9% em maio (com ajuste sazonal ante o mês
anterior) para o componente de serviços prestados a famílias da Pesquisa Mensal de Serviços
(PMS), que tem relação importante com o PIB do setor.

Com base nos prognósticos para os
dois primeiros trimestres do ano, o carrego estatístico para o crescimento de 2021 já será
de +4,6%.

Ou seja, mesmo se a atividade econômica ficasse estagnada no segundo semestre, o
crescimento de 2021 já seria mais próximo de 5% do que de 4%, disse o banco. Mas no segundo
semestre o Itaú prevê crescimento de 0,7% do PIB em cada um dos trimestres.

“Avaliamos que
o setor de serviços deve continuar crescendo ao longo do segundo semestre à medida que a
vacinação avançar”, disse o Itaú em relatório, que cita ainda a menor dependência das
atividades de consumo de bens (vendas no varejo, produção industrial) a restrições de
mobilidade. “Tudo isto reforça nossa visão de que os efeitos econômicos de possíveis pioras
da pandemia tendem a ser significativamente menores do que o observado na primeira onda.”

Com a expectativa de atividade mais aquecida, o Itaú revisou ainda a projeção de taxa de
desemprego ao final do ano de 12,7% para 12,3%.

“Esta projeção envolve maior grau de
incerteza do que o usual, porque implicitamente assumimos que os dados da Pnad Contínua
ficarão mais consistentes com as nossas próprias medidas de evolução do mercado de
trabalho.”

O IBGE divulgou mais cedo que a taxa de desocupação chegou a 14,7% nos três
meses até março, de 13,9% nos últimos três meses de 2020, atingindo 14,805 milhões de
pessoas –a maior taxa de desemprego e o maior contingente de pessoas sem trabalho na série
histórica.

By Reuters 27/05/2021 16h04

Link original da matéria:
https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2021/05/27/itau-eleva-projecao-para-
crescimento-do-pib-a-5-em-2021-e-corta-estimativa-de-desemprego.htm

Áudio sobre o assunto já explode com grande estímulo nas redes sociais, o 7Minutos aguarda o responsável pelo audio para dar o devido crédito

Na ótica do Seudinheiro

REVISÃO DAS ESTIMATIVAS

Itaú projeta Selic de 5,5% ainda este ano e PIB menor do que o esperado

O Itaú ainda destaca que o ano de 2022 pode sofrer com o descontrole das contas de 2021 por
causa do avanço da pandemia

 

O avanço da pandemia no Brasil é uma preocupação mundial, como foi afirmado pela Organização
Mundial da Saúde (OMS) e pela OCDE. Levar a covid-19 a sério fará bem tanto para a saúde
geral da população quanto para retomada econômica.

Com a vacinação, única forma conhecida de prevenir o coronavírus, caminhando a passos
curtos e lentos no Brasil, o Itaú revisou suas previsões para a economia brasileira. Os
resultados, como era de se esperar, apontam para uma piora da situação financeira do país.

Expectativas

Selic
Com menos de uma semana para a reunião do Copom, o Itaú prevê uma alta da Selic acima do
esperado. Na visão da instituição financeira, o Banco Central deve fechar o ano com uma
taxa básica de juros na casa dos 5,5%. A expectativa anterior era de encerrar o ano de 2021
ainda nos 5,0%.

“Sem aumento adicional de juros, a moeda brasileira sofreria depreciação ainda maior
[frente ao dólar], contribuindo para uma dinâmica de preços inconsistente com o cumprimento
da meta de inflação no horizonte relevante de política monetária”, destaca o Itaú no seu
relatório.

Déficit e PIB
O Itaú projeta um déficit primário, ou seja, a subtração entre receitas e despesas, de 2,5%
do PIB em 2021, com projeção de crescimento revisada de 4,0% para 3,8%. Além disso, é
esperado que o PIB do primeiro trimestre deste ano deve subir 0,5%, em comparação às
estimativas de alta de 0,4% para o segundo trimestre.

A instituição financeira ainda aponta que o risco de flexibilização para cobrir os gastos
decorrentes da pandemia ainda é alto. Esse aumento da deterioração financeira pode
comprometer os resultados de 2022, que também foram revisados.

O déficit primário para esse ano foi reajustado de 1,5% para 2,0%. Já o crescimento em 2022
deve ser menor do que o esperado, com o PIB avançando 1,8%, uma queda em relação aos 2,5%
da estimativa anterior.

IPCA
O IPCA, índice de inflação oficial, também terá uma disparada este ano. O Itaú apresenta a
tese de que, com um câmbio mais elevado e uma pressão sobre o preço do barril do petróleo,
que gera uma alta nos preços dos combustíveis, a inflação do país avance com mais força.

Até o final de 2021, o IPCA deve acumular 4,7%, acima dos 3,8% esperados na previsão
anterior. Além disso, as novas rodadas de auxílio emergencial devem aumentar a demanda por
produtos, o que também fará o índice subir.

Vacinação
A instituição financeira destaca que a imunização da população vem ganhando força, mas que
a perspectiva de novos imunizantes ainda não é clara.

“O ritmo de vacinação, por sua vez, está aumentando gradualmente. No entanto, com a
disponibilidade de vacinas limitada, ainda deve demorar alguns meses para que a imunização
impacte de forma clara a dinâmica da pandemia. Além disso, o surgimento de variantes do
vírus é um risco à eficácia das vacinas, que tem que ser monitorado à frente”, afirma o
Itaú.

By Renan Sousa
renan.sousa@seudinheiro.com

É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já
passou pela Editora Globo

Link original da matéria:
https://www.seudinheiro.com/2021/economia/itau-projeta-selic-de-55-ainda-este-ano-e-pib-
menor-do-que-o-esperado/

 

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.