Pfizer, Oxford, Johnson, Sinovac.

Anvisa aprova uso emergencial de vacinas contra Covid-19

Na prática, as empresa agora podem pedir solicitação para uso emergencial à agência.

China fecha acordo com a Sueca AstraZeneca para fornecer vacina contra covid-19
10 de dezembro de 2020
Até quando vão exigir uma vacina por pressão?
12 de dezembro de 2020

Qualquer autorização concedida pela Anvisa, qualquer anuência, só será feita diante de um pleito.

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu, na manhã desta quinta-feira (10), a autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, de vacinas contra a Covid-19.

Isso significa que, a partir desse momento, as fabricantes estão aptas a atender os pedidos de emergência. A informação é do Portal G1.

“A autorização de uso emergencial é um mecanismo que pode facilitar a disponibilização e o uso das vacinas contra Covid-19, ainda que não tenham sido avaliadas sob o crivo do registro, desde que cumpram com os requisitos mínimos de segurança, qualidade e eficácia”, disse Alessandra Bastos Soares, diretora da Anvisa.

Apesar disso, até o momento, a agência não recebeu nenhum pedido de uso emergencial de algum imunizante para uso emergencial ou pedido de registro de vacinas.

Além disso, a diretora reforça que esse pedido deve partir das empresas.

“Qualquer autorização concedida pela Anvisa, qualquer anuência, só será feita diante de um pleito. A vacina só terá autorização de uso emergencial e experimental se houver o pleito realizado por alguma empresa”, afirma Soares.

A Anvisa poderá modificar, suspender ou cancelar a autorização temporária a qualquer momento e sob justificativa de elementos técnicos e científicos.

Quatro vacinas estão em testes de fase 3 no Brasil: a da Pfizer, a de Oxford, a da Johnson e a da Sinovac.

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe um comentário