Prefeitura Anápolis Trabalhando

Anápolis seguirá flexibilização de atividades na segunda fase do decreto estadual

O chefe do Executivo anapolino disse que na noite de ontem (25), ligou para o governador Ronaldo Caiado e obteve do mesmo a informação de que, conforme o que foi ajustado no último decreto, haverá agora a flexibilização nos próximos 14 dias.

Município já investiu cerca de R$ 90 milhões na “guerra” contra a Covid-19
26 de março de 2021
Operação do MP cumpre mandados de busca em Anápolis
28 de março de 2021

Foi assim que nós conseguimos e estamos fazendo o enfrentamento da pandemia com leitos próprios” frisou Roberto Naves

O prefeito Roberto Naves informou, na manhã desta sexta-feira, 26/03, em entrevista à Rádio
Manchester, que Anápolis deve seguir a orientação de flexibilização das atividades
econômicas, conforme o decreto estadual que determinou 14 de fechamento e 14 dias de
abertura, de forma intermitente, em situações de calamidade.

O chefe do Executivo anapolino disse que na noite de ontem (25), ligou para o governador
Ronaldo Caiado e obteve do mesmo a informação de que, conforme o que foi ajustado no último
decreto, haverá agora a flexibilização nos próximos 14 dias.

Roberto Naves explicou que o decreto estadual foi muito claro ao vedar a edição de decretos
municipais nos municípios que fazem parte de regionais que estejam em situação de calamidade.
Dessa forma, não teria como Anápolis fugir à regra, segundo ele, para ocorrer o que ocorreu
em Aparecida de Goiânia, onde o Município adotou medidas próprias.,

“O comerciante abria as
portas e a polícia ia para fechar”, disse,

acrescentando que a polícia, no caso, fez o seu
papel, cumprindo a determinação expressa no decreto estadual.

O prefeito ressaltou que essa flexibilização, entretanto, requer por parte de todos os
cuidados necessários com a manutenção do distanciamento social e os cuidados pessoais como o
uso de máscara e de álcool em gel, dentre outros.

Situação atual

Questionado sobre os altos índices de contaminação e de mortes, Roberto Naves destacou que os
dados apontam que as medidas restritivas começam a apontar resultados, não ainda com a queda
no número de óbitos e internações, mas de estabilização. O que, considera, ser importante
para que num segundo momento ocorra a queda.

Didaticamente, apontou que cerca de 40 dias atrás havia uma média de internações em UTI de 54
pacientes. Nos últimos dias, esse patamar subiu para 88 e, apesar do crescimento exponencial,
houve agora uma estabilização, embora, ainda, num nível elevado.

“Mas se não tivemos tomado nenhuma medida, poderíamos estar aí com mais de 120% de ocupação,
ou seja, com um grande número de pessoas na fila de UTI”, ponderou o chefe do Executivo.

Vacina brasileira

Roberto Naves fez questão de falar sobre a “boa notícia” que foi o anúncio oficial da
primeira vacina brasileira, a ser produzida pelo Instituto Butantan, a ButanVac. Conforme
avaliou, a vacinação é o único meio para combater de forma mais efetiva a pandemia e, com a
produção nacional, a vacinação em massa da população deve ser acelerada.

Ainda em relação à vacinação, no caso de Anápolis, o prefeito destacou que a partir desta
sexta-feira (26) o Município conta com uma nova ferramenta para fazer o cadastro das pessoas
a serem imunizadas. O autocadastro poderá ser feito pelo site:

www.vacina.anapolos.go.gov/cadastrar.

No momento, o cadastro está aberto para colher as
informações das pessoas com idade acima de 60 anos.

Conforme o prefeito, o Zap da vacina continua ativo e a nova ferramenta vem no intuito de dar
mais agilidade no cadastro à medida que as faixas etárias a serem imunizadas vão tendo
aumento de população.

A partir da chegada das vacinas, a Secretaria Municipal de Saúde fará a vacinação dentro de
um cronograma estabelecido. Conforme assinalou Roberto Naves, tudo está sendo feito para
assegurar a maior transparência ao processo de vacinação, que tem uma logística complexa e
acompanhamento por parte do Ministério Público e do Judiciário.

Prioridades

O prefeito ainda falou sobre a medida “acertada” do governador Ronaldo Caiado, de incluir
entre os grupos prioritários para a vacinação- após o pessoal da linha de frente da saúde e
dos idosos- os servidores das forças de segurança pública.

No caso de Anápolis, adiantou que deve ser incluído também no rol de prioridade os servidores
e trabalhadores da área da educação, as redes municipal, estadual e privada.

Roberto Naves disse que dentro de todos os estudos e com toda a segurança para a comunidade
escolar, a intenção é que as aulas na rede municipal possam ser retomadas, de forma
presencial, no dia 05 de maio próximo.

Impostos e taxas

Durante a entrevista, Roberto Naves sinalizou que a Prefeitura deve manter o cronograma para
o pagamento de impostos e taxas municipais.

Conforme explicou, hoje, o pacto federativo concentra 70% de recursos na União, 20% nos
estados federados e apenas 10% nos municípios.

Durante a pandemia, enfatizou, o Município gastou cerca de R$ 90 milhões no enfrentamento da
mesma, sendo que metade desse recurso foi aportado pelo Governo Federal (que concentra 70%
das receitas) e a outra metade pelo próprio Município (que concentra 10% das receitas).

“Por isso, é importante que a população entenda a importância dos impostos e taxas. Foi assim
que nós conseguimos e estamos fazendo o enfrentamento da pandemia com leitos próprios”,
frisou Roberto Naves, acrescentando que não há ainda nenhuma previsão de um novo socorro da
União para os municípios este ano.

“Vamos passar um aperto, mas não vamos deixar de investir em saúde e dar o tratamento
adequado para a população e salvar vidas”, arrematou, fazendo um agradecimento geral aos
contribuintes e empresários que tiveram e têm este entendimento. “E um agradecimento especial
para os nossos servidores e para os profissionais da linha de frente de enfrentamento da
Covid-19 e de outras áreas da saúde”.

O prefeito ressaltou que essa flexibilização, entretanto, requer por parte de todos os
cuidados necessários com a manutenção do distanciamento social e os cuidados pessoais como o
uso de máscara e de álcool em gel, dentre outros.

Sobre a medida “acertada” do governador Ronaldo Caiado, de incluir entre os grupos
prioritários para a vacinação- após o pessoal da linha de frente da saúde e dos idosos- os
servidores das forças de segurança pública.

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam