Notícias / Anápolis

Gran Health Conference

Profissionais de saúde e empresários discutem em Anápolis o futuro da saúde no Brasil

Na visão de Amorim, o cuidado digital é o futuro para a saúde. “O Brasil tem que entrar de cabeça no processo de inovação para não morrer”

O país onde deputados não têm assessores, dormem em quitinete e pagam pelo cafezinho
27 de maio de 2019
Leandro Hassum quebra o silêncio, expõe motivo da saída e entrega drama com a emissora
27 de maio de 2019


Grupo empreendedor abriu conferência Imagem: Sem Fronteiras

Com palestrantes vindos de fora, como o superintendente de Novos Negócios do Hospital Sírio Libanês, Fábio Henrique Gregory, e o economista e apresentador Ricardo Amorim, a Gran Health Conference promoveu uma ampla discussão sobre o setor, tanto sob o aspecto dos avanços tecnológicos e as novas necessidades, quanto sob do ponto de vista econômico

Com o avanço tecnológico, o que deverá mudar no mercado de assistência à saúde no Brasil? Responder a essa e outras perguntas foi o objetivo da Gran Health Conference, evento promovido no município goiano de Anápolis, no último dia 22, pelas empresas Atmo Desenvolvimento Imobiliário, ABL Prime, Queiroz Silveira Incorporadora e CRD-Medicina Diagnóstica.

Na oportunidade, o grupo empresarial apresentou a membros da comunidade médica e profissionais da saúde convidados o projeto de um empreendimento imobiliário com foco na assistência à saúde e bem-estar: o Gran Life Health Complex, que será construído na região central de Anápolis.

O lançamento para o público acontece no sábado, dia 25 de maio, a partir das 08 horas, no estande de vendas, situado na Avenida Goiás com 1º de Maio, Centro. O público poderá visualizar a maquete, conhecer o conceito do empreendimento e visitar o apartamento e o consultório decorados.

Com palestrantes vindos de fora, como o superintendente de Novos Negócios do Hospital Sírio Libanês, Fábio Henrique Gregory, e o economista e apresentador Ricardo Amorim, o encontro promoveu uma ampla discussão sobre o futuro da saúde no Brasil, tanto sob o aspecto dos avanços tecnológicos e as novas necessidades do setor, como sob o ponto de vista econômico e mercadológico. ,

Abrindo a conferência, o médico goiano Sérgio Daher destacou a gestão da saúde como forma de melhorar a qualidade de vida das pessoas. Segundo ele, nos últimos anos a tecnologia trouxe benefícios à população, mas o País precisa pensar na administração da saúde, uma vez que a população está envelhecendo em ritmo considerável.

“E quando falamos em gestão, falamos também de uma medicina de precisão que assegura o acesso ao que é ou está disponível. Um exemplo claro da necessidade de uma melhor gestão da saúde é a questão da vacinação contra gripe neste ano. Apenas 63% da população foi imunizada no país, ou seja, não houve uma adesão da população a um serviço gratuito que está disponível”.

Para o médico, se houvesse uma gestão mais eficiente, esse índice seria maior, evitando que os 37% restantes ficassem expostos à doença que pode ser mortal. Em relação à medicina de precisão, Daher definiu o conceito em dois aspectos – tratamento adequado para o paciente certo, no momento correto e a aderência do paciente e família ao tratamento.

O palestrante Fábio Gregory, com sua larga expertise junto ao Hospital Sírio Libanês, uma das mais destacadas instituições médicas da América Latina, destacou na conferência os investimentos em saúde no país. De acordo com ele, no Brasil, do total dos gastos públicos 50% vai para saúde, mas atende 75% da população.

“Isso mostra que devemos investir mais na saúde para enfrentar os desafios que se colocam para o futuro”, salientou o médico.

Outro ponto destacado por Gregory trata-se da transição tecnológica por que passa a saúde. Segundo o representante do Sírio Libanês, essa transição traz melhoria em tratamentos, medicamentos e avanços em aparelhagem, mas na maior parte das vezes agrega custo.

“A transição da tecnologia vem ao encontro com a eficiência que hoje a saúde demanda”, frisou em sua fala.

O médico afirmou ainda que dentro desse processo o desafio é criar valor na saúde e agregar tal valor ao paciente, oferecendo novas estratégias de tratamento que levem em conta essas novas tecnologia e informações que tem nos dias de hoje.

Perspectiva de mercado
Aspectos como o baixo financiamento da saúde e as perspectivas de mercado para o setor, foram abordados pelo economista Ricardo Amorim. Ao fazer um panorama da economia no Brasil, o especialista enfatizou que no futuro teremos mais idosos que crianças,

“e a demanda por saúde é o que se coloca como provação para o próprio setor”.

Na visão de Amorim, o cuidado digital é o futuro para a saúde.

“O Brasil tem que entrar de cabeça no processo de inovação para não morrer”, disse,

observando que as oportunidades para o amanhã são boas, e o momento de se investir na nação é agora.

Empreendimento
Ao reunir cerca de 700 pessoas entre membros da comunidade médica, outros profissionais de saúde e autoridades locais, a Gran Health Conference também foi uma oportunidade de falar sobre Gran Life Health Complex, empreendimento imobiliário com foco na assistência à saúde e bem-estar, que está sendo construído em Anápolis.

O empresário imobiliário Marcos Mineo Nakamura expôs o projeto inspirado no conceito de mixed use para a saúde.

O complexo abrigará em um só ponto, um shopping, um centro clínico, um hospital de alta complexidade e uma torre residencial. O projeto que nasce com consultoria do Hospital Sírio Libanês será referência para a saúde no município e para o Estado de Goiás.

Ao prestigiar o evento, o secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, ressaltou que o projeto está aliado com a modernidade ao empregar tecnologia e reunir em só lugar os serviços médicos.

“É uma proposta extremamente necessária para a demanda de Anápolis, cidade polo da indústria farmacêutica”, afirmou o secretário.

Para a médica Paula Marques Paiva, uma das convidadas para a conferência, o complexo veio atender a uma demanda por mais estrutura e conforto,

“tanto para a classe médica, quanto para a população”.

Opinião semelhante tem o médico Luis Roriz.

Para ele, o conceito mixed use, além de inovador, traz para Anápolis maior valorização imobiliária e apresenta a possibilidade de um trabalho mais abrangente e eficaz em saúde.

“É um empreendimento que traz mais conforto e credibilidade”, destacou.

Ricardo Amorim palestrou para mais de 700 convidados Sem Fronteiras

O empresário Marcos Mineo falaou sobre mixed use para saúde Sem Fronteiras

Dr. Fábio Henrique Gregory, do Sírio, foi um dos palestrantes Sem Fronteiras

Dr. Fábio Henrique Gregory, do Sírio, foi um dos palestrantes Sem Fronteiras

Ricardo Amorim palestrou para mais de 700 convidados Sem Fronteiras

Dr. Sérgio Daher foi um dos anfitriões. Sem Fronteiras

 

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam