Mourão:

‘A China deixou de ser um centro irradiador do comunismo.

Esse movimento se extinguiu’

Bolsonaro enviará ao Congresso PL para garantir liberdade de expressão nas redes sociais
16 de setembro de 2021
O Parecer do Procurador-Geral Augusto Aras
17 de setembro de 2021

Em entrevista ao site Poder360, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, afirmou que a China não é um regime comunista “clássico”. Foto: Adnilton Farias/Agência Brasil

Em entrevista ao site Poder360, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, afirmou que a China não é um regime comunista “clássico”.

A declaração foi dada nesta quinta-feira (16).

Ao comentar se a saída de Ernesto Araújo do Itamaraty ajudou para um distensionamento nas relações do Brasil com a China, ele respondeu:

“Carlos França [novo ministro] tirou um pouco da belicosidade. E uma coisa tem que ficar clara: a partir da morte de Mao Tse Tung, em 1976, a China deixou de ser um centro irradiador do comunismo. Com a extinção da União Soviética, esse movimento se extinguiu. Hoje só tem 2 regimes comunistas no mundo: Cuba e Coreia do Norte. A própria China não é comunismo clássico. É um regime forte, autoritário, mas com liberdade econômica, que não é característica do comunismo. A partir do momento que se desmistificou esse discurso de comunismo e a própria maneira de agir do ministro França, as relações melhoraram”.

Link original da matéria:
https://gazetabrasil.com.br/politica/2021/09/16/mourao-a-china-deixou-de-ser-um-centro-irradiador-do-comunismo/

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.