dias antes da ‘bomba estourar’

Rússia pode estar envolvida em ataque hacker a Sérgio Moro

Uma denúncia preocupante feita pelo jornalista Filipe Irrazábal em sua conta no Twitter, mostra que inteligência Russa pode estar por trás das ações de Glenn Greenwald, do hackeamento de autoridades de países no Ocidente

Mostra da UniEvangélica exibe curta sobre a Ditadura Militar em Anápolis
17 de junho de 2019
Ah, Moscou…
18 de junho de 2019

Denúncia feita no Twitter por Filipe Irrazábal mostra ligações entre ataques hackers em países do Ocidente e navios petroleiros perto da costa do Irã. Russos estão interferindo na geopolítica e o Brasil está na mira de Vladimir Putin. Istockphoto

Denúncia feita no Twitter por Filipe Irrazábal mostra ligações entre ataques hackers em países do Ocidente e navios petroleiros perto da costa do Irã. Russos estão interferindo na geopolítica e o Brasil está na mira de Vladimir Putin.

Uma denúncia preocupante feita pelo jornalista Filipe Irrazábal em sua conta no Twitter, mostra que inteligência Russa pode estar por trás das ações de Glenn Greenwald, do hackeamento de autoridades de países no Ocidente desalinhados com a estratégia revolucionária do país dos Balcãs (onde se enquadra o caso de Sérgio Moro, uma vez que o Brasil está fora do esquema de poder do Foro de São Paulo -esteio russo na América Latina) e da explosão dos navios petroleiros na Ásia que desestabilizou os preços internacionais do petróleo.

Enfrentando dificuldades financeiras em sua economia, o que gera queda na popularidade, o ‘ex-agente’ da KGB, Vladimir Putin, pode ter interesse na variação no preço de mercado do petróleo, uma vez que as quedas nos últimos anos ajudaram na retração da economia de seu país.

Além disso, o problema envolve Donald Trump, que pressiona aliados na OPEP para que a produção aumente e os preços se mantenham em um patamar mais baixo.

Segundo denúncias, o ataque aos navios petroleiros na última Sexta-feira (14), pode ter partido do Irã – aliado russo desde a época da URSS, sendo que a KGB foi responsável por implantar a politica de ódio aos EUA e a Israel em solo persa.

Neste bojo, por ser a Venezuela um importante país produtor da commoditie e forte aliado russo pela ideologia revolucionária do Foro de São Paulo, vale a pena investir em contra informação e desinformação nos países que não estejam alinhados à estratégia geopolítica russa.

O Brasil, país mais importante da América Latina, encontra-se justamente nesta posição, fora do controle do Foro de São Paulo (que ainda domina Bolívia e Venezuela, que fazem fronteira com o país e são comandados por membros do Foro, Evo Morales e Nicolás Maduro) desde Janeiro de 2019, com a eleição de Jair Bolsonaro.

Tal qual nas eleições estadunidenses de 2016, uma agência do país detectou interferência de Putin nas eleições brasileiras de 2018, ou seja, havia interesse russo na vitória de um candidato, (e esse não era Jair Bolsonaro -mas Haddad, pois o PT está em consonância com a política do Foro de São Paulo, que atua também sob orientação, apoio e influência russa).

Glenn Greenwald tem contato justamente com a empresa russa que aplicou a manobra de desinformação e intervenção nas eleições dos dois países Americanos. Esta empresa tem ligação com o hacker russo que tentou subtrair dados da Operação Lava-Jato.

Segundo denúncias, ele é um espião na verdade, com quem Greenwald teve contato em 2016 -há, inclusive, um livro de um professor estadunidense mostrando que o russo é, na verdade, um espião.

Glenn Greenwald é constantemente citado e consultado pela empresa estatal de comunicação Russia Today (RT) para captar e levar informações dos países do Ocidente, e vice-versa.

Esta empresa é um órgão de desinformação da inteligência russa, usada até mesmo para melhorar a imagem do país no Ocidente, sobretudo nos Estados Unidos.

Ademais, há inúmeras denúncias de que o aplicativo de mensagens que Sérgio Moro usava, Telegram, atua sob forte influência do governo sediado no Kremlin. Greenwald procurou pessoalmente a Rede Globo de Televisão com informações sobre o assunto poucos dias antes da ‘bomba estourar’ -o que foi denunciado pela própria emissora de TV.

Como ele sabia do hackeamento de Sérgio Moro dias antes do assunto vir à tona?

A quem interessaria desprestigiar o Governo brasileiro, sobretudo mirando um cenário internacional, onde o Brasil se coloca como inimigo de uma ideologia revolucionária de supremacia russa que perdura há décadas e, ainda hoje, influencia países? (o notório caso de apoio russo à Venezuela, China e Irã só corroboram a ilação).

A tentativa de desmoralização da Lava-Jato e do Governo Federal interessa à esquerda internacional, uma vez que o Brasil tem uma das maiores economias do mundo e ocupa um espaço relevante na política americana -talvez o de principal país nas Américas, depois de Estados Unidos.

Veja a denúncia completa, feita no Twitter por Filipe Irrazábal, abaixo (entre no Twitter, as demais informações, comprovadas por links e materiais investigativos, estão nos comentários da própria publicação):

by Ítalo Bianchi

Link original da matéria:
http://gazetaconservadora.com.br/russia-pode-estar-envolvida-em-ataque-hacker-a-sergio-moro/?unapproved=189&moderation-hash=77277d09dbc52da17076836349e365f6#comment-189

 

 

 

 

 

 

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam