Lei declara

Tancredo Neves patrono da democratização

Mineiro chegou à presidência, mas não exerceu o cargo

Bolsonaro usou app que dribla grampo
27 de junho de 2022
Promotores e data para o início das convenções partidárias
1 de julho de 2022

Tancredo não chegou a exercer o cargo, porque faleceu em abril. O mandato foi exercido pelo vice, o ex-presidente José Sarney. (Fonte: Agência Câmara de Notícias)

Foi sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, a Lei 14.371/22, que declara o ex-presidente Tancredo Neves patrono da redemocratização brasileira.

 

Publicado

na edição extra do Diário Oficial da União da última quarta-feira (15), o texto é oriundo do Projeto de Lei 5851/05, aprovado pela Câmara dos Deputados em outubro do ano passado e pelo Senado Federal em maio.

 

A proposta,

por sua vez, tem origem em uma sugestão enviada à Comissão de Legislação Participativa da Câmara pela Associação Comunitária do Chonin de Cima, sediada na cidade de Governador Valadares (MG).

 

Ex-governador

de Minas Gerais, Tancredo Neves foi eleito presidente da República em 1985, em pleito realizado por colégio eleitoral, marcando o fim no regime militar instaurado no Brasil a partir do golpe de 1964.

Tancredo não chegou a exercer o cargo, porque faleceu em abril.

O mandato foi exercido pelo vice, o ex-presidente José Sarney.

 

O ARTICULADOR- Tancredo Neves, durante o regime militar. Na oposição, ele manteve abertos os canais de diálogo com a caserna (Foto: Antonio Lara/Hoje em Dia/Folhapress)

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Os comentários estão encerrados.