Estilo / Saúde

Afinal,

A sucralose faz mal à saúde?

É um adoçante não nutritivo, sem calorias, muito semelhante ao açúcar.

Mensagens vazadas revelam que Moro orientou investigações da Lava Jato
10 de junho de 2019
Ministro confirma assinatura do contrato da Ferrovia Norte-Sul em Anápolis
10 de junho de 2019

Afinal, sucralose faz mal à saúde? Foto: Shutterstock

Em um esforço para reduzir a ingestão de açúcar, que tem sido associada à obesidade, diabetes tipo 2, cárie dentária e síndrome metabólica, os fabricantes de alimentos procuraram uma maneira de adicionar doçura aos seus produtos sem calorias extras.

E assim, adoçantes de zero caloria, como sucralose,  encontraram o caminho para as listas de ingredientes de refrigerantes diet e sobremesas de baixo cal.

Como de costume no campo da ciência da nutrição, não existe uma resposta detalhada sobre se o uso de produtos à base de sucralose pode ter efeitos nocivos  a longo prazo. Mas aqui está o que sabemos.

Sucralose é um açúcar?
Para começar, sucralose é uma substância química produzida em laboratório, explica Lindsey Pfau, proprietária da Rise Up Nutrition. É um adoçante não nutritivo, sem calorias, muito semelhante ao açúcar.

Sendo assim, embora a sucralose tenha surgido de uma molécula de açúcar, não deve ser confundido com sacarose, o nome químico para o açúcar de mesa.

“A molécula de açúcar é natural, mas uma vez que você a leva a um laboratório e começa a mexer nela, não é mais açúcar. Não funciona no corpo como o açúcar”, explica Pfau.

O açúcar regular – seja cana, mel, xarope de bordo e até mesmo xarope de milho rico em frutose – é absorvido e digerido pelo organismo.

Mas a sucralose, que é 600 vezes mais doce que o açúcar verdadeiro, não fornece calorias nem nutrientes.

“Não tem benefícios para isso, na medida em que afetam seu corpo de  uma forma positiva”, diz ela.

Sucralose é seguro?
Aqui é onde as coisas ficam um pouco confusas. A Food and Drug Administration dos EUA diz que a sucralose é “geralmente reconhecida como segura”, ou GRAS.
Isso significa que os especialistas consideram a substância em questão segura com base na pesquisa disponível.

Segundo Pfau, todos os açúcares artificiais são GRAS e eles estão no mercado porque pesquisas mostraram que são seguros para os seres humanos quando consumidos moderadamente.

Saber dos risco quando consumidos em excesso é um pouco mais complicado. Alguns estudos mostraram que os animais de laboratório que receberam quantidades extremamente altas de sucralose desenvolveram câncer.

Mas é difícil replicar esses estudos em humanos, já que poderia colocá-los em risco.

“É difícil ter evidências humanas sobre se um aditivo causa câncer ou outros efeitos a longo prazo. Nossa maior preocupação com a sucralose é que ela causa câncer em animais e, portanto, também pode causar câncer em humanos”,

explica Lisa Lefferts, cientista sênior do Center for Science in the Public Interest  (CSPI).

Dito isso, se você está seguindo a regra “tudo com moderação”, você deve ficar bem, segundo Lefferts e Pfau.

“Quando se trata de substâncias causadoras de câncer, quanto menos você está exposto, menor o risco”, diz Lefferts. “Não que seja uma quantidade isenta de
risco. Mas é extremamente pequeno quando consumido em pequenas quantidades, como um pacote ou dois [de adoçante] por dia.”

A sucralose é sempre recomendada?
Se for para melhorar a saúde, os adoçantes sem caloria podem ter o um propósito. “Como nutricionista, eu posso recomendar a sucralose como um trampolim ou
uma solução temporária para se livrar do açúcar, se estão consumindo muito”, diz Pfau.

Qual a melhor maneira de tirar o açúcar da dieta?

Se, por exemplo, o objetivo a longo prazo de uma pessoa é reduzir os níveis de açúcar no sangue, o que o coloca em risco de diabetes, um adoçante sem
caloria pode satisfazer sua vontade de doce sem afetar o peso ou o açúcar no sangue, segundo Pfau. Mas essa não seria uma solução a longo prazo.

“Outras alternativas de açúcar podem fazer esse trabalho um pouco melhor”, acrescenta Lefferts.

“O CSPI classifica tanto o eritritol [um álcool com baixo teor calórico de açúcar] como o extrato de folhas de estévia como seguro”, diz ela. “Eritritol
seria a minha primeira escolha em termos de segurança. Embora possa causar náuseas quando consumido em grande quantidade.”

Essa instituição marca a sucralose, aspartame e sacarina como inseguras com base na pesquisa atual. Mas, novamente, essa pesquisa analisou animais, não humanos.

Conclusão
A chave aqui – assim como a maioria dos aspectos da nutrição – é moderação.

Uma lata de refrigerante diet ou dois por semana provavelmente não causará efeitos negativos à saúde a longo prazo. Mas pesquisas descobriram que os consumidores de refrigerante diet não apenas mantiveram o número na balança como, em muitos casos, ganharam peso.

O motivo dessa relação ainda não está claro. Uma possível razão, segundo especialistas, é que as pessoas tendem a comer mais quando sabem que a bebida que estão tomando não tem caloria.

Outra teoria é que, quando você come algo doce sem calorias, seu pâncreas secreta insulina para processar esse açúcar. Sem encontrar essas calorias, seu corpo fica confuso e o processo metabólico normal é interrompido.

Contar com um nutricionista é uma boa maneira de garantir equilíbrio e benefícios a longo prazo.

No caso de corredores que precisam de açúcar (com calorias) para garantir combustível, a sucralose não é uma opção. É melhor consumir o açúcar mesmo (com moderação) ou especificamente nos dias em que você precisa, como em um dia de longão.

“Sabemos que nosso corpo precisa de calorias”, diz Pfau. “Então devemos colocar boas calorias no corpo.”

Por Heather Mayer Irvine, da Runner’s World US

Link original da matéria :
http://runnersworld.com.br/sucralose-faz-mal-a-saude/

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam