disponibilização de 5 mil bolsas

Ronaldo Caiado e Gracinha lançam Programa Universitário do Bem

O governador destacou que a ingerência da antiga administração deixou cerca de 21 mil jovens goianos fora das universidades.

Leilão de privatização da Celg-GT é agendado para 13 de maio
13 de abril de 2021
Goiânia zera a fila de espera por leitos de UTI da Covid-19
22 de abril de 2021

O governador Ronaldo Caiado, acompanhado pela coordenadora do Gabinete de Políticas Socais (GPS) e presidente de honra da Organização das Voluntárias
de Goiás (OVG), primeira-dama Gracinha Caiado, lançou, nesta terça-feira (13/04) o primeiro edital de seleção para o Programa Universitário do Bem
(ProBem),

São 5 mil bolsas previstas no edital. Governo de Goiás negocia dívida
herdada de R$ 100 milhões da antiga gestão da OVG, aumenta valores do
benefício, reformula método de concessão para alcançar estudantes mais
vulneráveis, e aumenta em 600% número de ofertas para medicina e
odontologia.

O governador Ronaldo Caiado, acompanhado pela coordenadora do Gabinete de
Políticas Socais (GPS) e presidente de honra da Organização das Voluntárias
de Goiás (OVG), primeira-dama Gracinha Caiado, lançou, nesta terça-feira
(13/04) o primeiro edital de seleção para o Programa Universitário do Bem
(ProBem), com a disponibilização de 5 mil bolsas.

“Não se trata de uma
bolsa eleitoreira. Foi feita para qualificar pessoas, formá-las, para que
tenham condição de sobreviver com a sua profissão, ter dignidade e
cidadania. Essa é a diferença”,

afirmou Caiado, ao explicitar a essência da
iniciativa, instituída no começo deste ano após aprovação da matéria na
Assembleia Legislativa de Goiás.

O governador destacou que a ingerência da antiga administração deixou cerca
de 21 mil jovens goianos fora das universidades. A dívida herdada do
Executivo com as instituições de ensino superior (IES), que chegou a R$ 76
milhões (o total de débitos da OVG era de cerca de R$ 100 milhões), foi
parcelada pelo Governo de Goiás até 2022.

“Era um governo populista, com corrupção e sem transparência”,

descreveu Caiado, ao fazer ainda menção ao
tratamento dispensado à Universidade Estadual de Goiás (UEG) àquela época:

“Cursos de graduação eram definidos em palanque”, acrescentou.

A coordenadora do GPS e presidente de honra da OVG, primeira-dama Gracinha
Caiado, disse que a falta de credibilidade da antiga gestão travou a
parceria com as IES, já que 82 delas chegaram a ficar 13 meses sem receber.

“Muitos jovens reclamavam e entidades informaram que não receberiam mais os
alunos”, ressaltou.

Gracinha falou também sobre as novidades advindas da reformulação do
programa, como o aumento no valor da bolsa, que quase dobrou na modalidade
parcial.

Estudantes que recebiam de R$ 300 a R$ 500 terão à disposição até
R$ 650.

Já no caso das bolsas integrais, o valor será de R$ 1.500 para
cursos em geral e R$ 5.800 para medicina e odontologia. “Hoje, os 6 mil
bolsistas já são atendidos por essas novas regras.

O aumento da cobertura
do benefício confere mais estabilidade financeira e permite que o bolsista
se programe do início ao fim do curso, reduzindo as chances de evasão”,
assinalou.

Outros grandes diferenciais dizem respeito ao número de bolsas para os
cursos de medicina e odontologia, que aumentaram 600%, passando de 20 para
140, e à metodologia para concessão do benefício, que leva em conta agora,
além do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) do governo
federal, uma versão ampliada do Índice Multidimensional da Carência das
Famílias Goianas (IMCF), criado pelo Instituto Mauro Borges (IMB), à pedido
do GPS, para direcionar as políticas sociais à população mais vulnerável.

“Hoje o que nós temos oportunidade de ver é um Estado sendo desenhado e
calibrado, para atender as pessoas que mais precisam”,

defendeu o vice-
governador Lincoln Tejota, justamente ao falar sobre as prioridades do
governo Caiado .

Também presente ao evento, o presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer
Vieira, destacou os avanços na gestão do Governo de Goiás em “dar
transparência aos atos do governo e valorizar o dinheiro público” e elogiou
o ProBem.

“Ele não é voltado para fazer propagandas políticas, mas sim para
dar resultado às pessoas que mais necessitam”, considerou.

Para a diretora-geral da OVG, Adryanna Melo Caiado, o ProBem foi instituído
para

“mudar a realidade das pessoas que vivem em situação de
vulnerabilidade social e que sonham em concluir um curso superior”. “Os
estudantes serão beneficiados e terão nova perspectiva de vida. Além de
contribuir para o desenvolvimento econômico e desenvolvimento social do
nosso Estado”, avaliou.

Processo Seletivo

Os candidatos devem ler o edital disponível no site da OVG (www.ovg.org.br)
e, caso não estejam cadastrados no CadÚnico, terão até o dia 25 de maio
para procurar um posto de cadastramento, que costuma funcionar no Centro de
Referência de Assistência Social (CRAS) do município

Um mês depois, no dia 25 de junho, começa o período de inscrições no site
da OVG. O resultado definitivo dos primeiros selecionados pelo ProBem está
previsto para o dia 26 de julho.

Os estudantes contemplados vão receber o
benefício no segundo semestre deste ano com bolsas que custeiam 50% (bolsa
parcial) ou 100% (bolsa integral) do valor da mensalidade.

Durante a solenidade, a diretora de Programas Especiais da OVG, Rúbia
Prado, apresentou a estrutura do ProBem e reforçou que a inscrição no
CadÚnico é obrigatória e deve ser feita, impreterivelmente, até o dia 25 de
maio.

“Como o CadÚnico é um instrumento que identifica e caracteriza as
famílias de baixa renda, o adotamos como parâmetro para o ProBem. Sem o
cadastro, não conseguimos fazer a avaliação do estudante e,
consequentemente, conceder a bolsa de estudos”, enfatizou a diretora.

Sancionado pelo Governo do Estado no início de janeiro, o Programa
Universitário do Bem tem o objetivo de ampliar a capacidade de atendimento
aos mais vulneráveis, ao trazer maior segurança ao processo de seleção,
elevar o potencial de redução das desigualdades sociais por meio do acesso
ao ensino superior e promover o alinhamento às demandas por mão de obra
qualificada no Estado de Goiás. O ProBem é direcionado a todos os 246
municípios goianos.

Banco de Oportunidades

Com atualmente 6 mil bolsas ativas,a iniciativa destinará parte das novas
vagas às chamadas profissões do futuro e para aquelas áreas de formação que
atendem às demandas por mão de obra em todas as regiões do Estado, além de
abrir portas para a qualificação e oportunidade de estágios por meio do
Banco de Oportunidades

Além disso, 33% das bolsas (1.650 vagas) estão reservadas para o
desenvolvimento de cadeias produtivas locais, para as chamadas

“profissões
do futuro”. “Fizemos isso com base em um estudo do Instituto Mauro
Borges/Fapeg, que aponta necessidade de mão de obra, considerando as
cadeias produtivas e profissões em ascensão”,

destacou a diretora-geral da
OVG, Adryanna Caiado.

Com informações da Secretaria de Comunicação e Organização das Voluntárias
de Goiás (OVG) – Governo de Goiás

De José Aurélio Soares  

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta