altera pontos da Constituição

Mais imunidade, menos chance de prisão: Câmara vota PEC de "autodefesa"; entenda

Proposta, elaborada por grupo indicado pelo presidente da casa, está na pauta desta quarta-feira e prevê diversas mudanças na Constituição para restringir processos e eventuais prisões de parlamentares

TJ-RJ afasta, por unanimidade, Flordelis do cargo de deputada federal
23 de fevereiro de 2021
SENADORES de OITO PARTIDOS falam em CPI e IMPEACHMENT de BOLSONARO por COVID
28 de fevereiro de 2021

PEC sobre imunidade parlamentar foi desenvolvida por grupo indicado pelo presidente da Câmara . Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados deve votar ainda nesta quarta-feira (24) uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para restringir a eventual prisão e processos contra parlamentares

. Se ela estivesse em vigor, o bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) poderia não ter ficado preso.

A proposta foi elaborada por um grupo de trabalho formado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) , e altera diversos pontos da Constituição.

Prisão de parlamentar
A PEC restringe a prisão, prevendo que deputados ou senadores sejam enviados para a custódia do Congresso após o flagrante. A Câmara ou o Senado poderiam decidir onde manter o parlamentar, incluindo em sua própria casa, antes de uma audiência na Justiça para analisar a prisão.

Essa audiência, inclusive, só poderia ocorrer após o plenário da Câmara ou do Senado analisarem a prisão. Isso impede o que ocorreu no caso Silveira, em que um juiz auxiliar do Supremo Tribunal Federal ( STF ) decidiu sobre manter a prisão antes de ela ter sido analisada pelos deputados.

Busca e apreensão limitadas
Outra medida proposta é determinar que a busca e apreensão contra parlamentares no Congresso ou nas suas residências sempre deverá ser referendada, após sua realização, pelo plenário do STF. Caso contrário, as provas obtidas podem ser invalidadas. A PEC estabelece ainda que a Polícia Legislativa supervisionaria as buscas e apreensões no Congresso.

Primeira instância perde poder
A restrição às buscas e apreensões significa que, mesmo que um juiz de primeira instância possa julgar um fato ocorrido antes do mandato, ele não poderá pedir buscas nas dependências de um parlamentar sem autorização do Supremo.

A medida pode atrasar esse tipo de ação penal.

Link original da matéria:
https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2021-02-24/mais-imunidade-menos-chance-de-prisao-camara-vota-pec-de-autodefesa-entenda.html 

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam