Prefeitura Anápolis Trabalhando

Município já investiu cerca de R$ 90 milhões na “guerra” contra a Covid-19

Esse “esforço de guerra” do Município exige maior capacidade de planejamento e investimentos.

Jovens Administradores Formados pela UEG se reúnem para ajudar Micro e Pequenos
22 de março de 2021
Anápolis seguirá flexibilização de atividades na segunda fase do decreto estadual
27 de março de 2021

Para se ter uma ideia, um leito de UTI custa, em média, R$1.850,00 por dia.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, há pouco mais de um ano, Anápolis tem dado importantes passos no intuito de estruturar e manter uma rede para fazer o atendimento de pacientes do próprio município, sem desconsiderar o seu perfil de polo regional dentro Sistema Único de Saúde (SUS), com o consequente aumento de demanda por serviços nessa área.

Esse “esforço de guerra” do Município exige maior capacidade de planejamento e investimentos. E, para se ter uma ideia, de 2019 para 2020, conforme dados oficiais repassados pela Prefeitura de Anápolis, os investimentos na saúde saltaram de R$ 348 milhões, em 2019, para R$ 438 milhões, em 2020.

Ou seja, R$ 90 milhões de incremento.

Um reforço significativo e que tem feito a diferença para que a cidade possa colocar todo o seu “arsenal” disponível na parte da prevenção, do tratamento de pacientes e em pós-tratamento, outra demanda que surgiu em consequência da pandemia.

Conforme os dados divulgados pela municipalidade, de 2019 para 2020, os recursos próprios de arrecadações e taxas para o enfrentamento da Covid-19 chega a R$ 33 milhões.

No ano passado, o município em impostos e taxas foi de aproximadamente R$ 295 milhões, sendo que deste total, R$ 206 milhões foram direcionados para a área da saúde, representando 70% das receitas mencionadas.

O Governo Federal, por sua vez, fez um aporte de cerca de 43 milhões para o enfrentamento da pandemia no Município. Esse valor representa 47% do que foi gasto até o momento com a pandemia em Anápolis.

Leitos

Os novos leitos criados de UTI e enfermaria, o custo das equipes médicas e a compra de medicamentos e insumos estão entre os principais custos da guerra contra a Covid-19.

Para se ter uma ideia, um leito de UTI custa, em média, R$1.850,00 por dia.

Se considerarmos que a cidade tem hoje 93 leitos exclusivos para pacientes anapolinos, o custo mensal somente destes leitos ultrapassa R$5 milhões.

Neste caso específico, os leitos são custeados 100% com recursos municipais, para que possam ser utilizados apenas por moradores locais. Caso contrário, se fossem custeados com verbas estadual ou federal, toda a macrorregião poderia utilizá-los para os seus pacientes.

Desde o início da pandemia, a Prefeitura de Anápolis abriu dois hospitais voltados exclusivamente para internações de pacientes vítimas da Covid-19.

É o caso da unidade Norma Pizzari Gonçalves, inaugurado em março de 2020 e também o Hospital Alfredo Abrahão, inaugurado em março deste ano.

Juntos, os dois hospitais abrigam 46 leitos de UTI e 64 de enfermaria.

Para o trabalho nas unidades, a Secretaria Municipal de Saúde já contratou centenas de profissionais de saúde desde o início da pandemia. Medicamentos e insumos pesam também no orçamento final, com acréscimo de mais de R$12 milhões de 2019 para 2020.

Em 2021, os custos da pandemia continuam e devem aumentar ainda mais.

Somente em janeiro deste ano, 84% da arrecadação municipal foi utilizada para a área da saúde.

São mais de R$ 30 milhões investidos em, apenas, 30 dias.

O que se sabe, até aqui, é que a guerra não custa pouco e todo centavo é importante para salvar vidas.

Com informações da Secretaria de Comunicação

By Claudius Brito 

R$ 90 milhões de incremento.

No ano passado, o município em impostos e taxas foi de aproximadamente R$ 295 milhões, sendo que deste total, R$ 206 milhões foram direcionados para a área da saúde, representando 70% das receitas mencionadas.

Em 2021, os custos da pandemia continuam e devem aumentar ainda mais.  Somente em janeiro deste ano, 84% da arrecadação municipal foi utilizada para a área da saúde. São mais de R$ 30 milhões investidos em, apenas, 30 dias.

  • Fonte da informação:
  • Leia na fonte original da informação
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam